domingo , 16 junho 2024 - 09:06
Home Blog Senta que lá vem a História Os “conselhos” do padre Pinto Doutel
Blog Senta que lá vem a História

Os “conselhos” do padre Pinto Doutel

A história de hoje vai ser sobre os primeiros colonizadores do Brasil, que nem sempre seguiam os “bons costumes” pregados pela Igreja. O adultério, ou seja a traição conjugal era algo comum em uma sociedade machista, onde o homem podia tudo e a mulher era privada de quase tudo. Até os padres, que eram os pregadores e guardiões da “moral” e dos “bons costumes” davam suas escorregadas. Este é o caso do padre Francisco Pinto Doutel, vigário em Pernambuco por volta de 1590. No meio da rua , ele fez uma advertência e pôs pulga atrás da orelha de certos garanhões locais: “VÓS OUTROS HOMENS QUE NÃO QUEREM SENÃO FAZER ADULTÉRIO A VOSSAS MULHERES; POIS DESENGANAI-VOS QUE ELAS NA MESMA MOEDA VO-LO PAGAM”. Dado o recado, o padre Pinto deu um conselho aos possíveis “cornos”: Se fossem cometer adultério, pelo menos o fizessem com mulheres bonitas, e não com as feias. Afinal, seria melhor beber um bom vinho do que vinagre. Ninguém sabe se os homens seguiram as recomendações feitas pelo religioso, mas o padre Pinto se deu mal, e acabou tendo que prestar contas à inquisição por defender a fornicação adúltera.
Fonte: Trópico dos pecados de Ronaldo Vainfas

Sobre o autor

Sobre o portal

Desde 2008 mantenho este portal, que iniciou sendo um disseminador de informações e artigos voltados a área da mecânica e com o passar do tempo alterou seu formato diversas vezes, tornando-se uma plataforma educacional flexível  com ênfases em História (Que é a minha paixão) e trabalhos desenvolvidos na ampliação da cultura Maker no Brasil.

Related Articles

Quem é tolo?

Conta-se que numa pequena cidade do interior um grupo de pessoas se...

Carlota Joaquina

A história do dia é sobre a Rainha CARLOTA JOAQUINA, esposa de D....

A origem francesa do futebol

A história do dia estou escrevendo ouvindo a rádio Gaúcha de Porto Alegre...

A batalha das toninhas

A História do dia que vou relatar é uma das mais vergonhosas façanhas...